quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

O evangelho que Triunfa!

Durante esse ano temos que pensar e refletir sepre, sobre o significado do evangelho em nossas vidas.
Henri  Josef Machiel Nouwen( 1932-1996) nos ajuda a refletir:

              


" A alegria do Evangelho é uma alegria nascida da cruz. Não é a felicidade estéril das festas de vitoria, mas a profunda alegria escondida no meio da luta. É a alegria de saber que o mal e a morte não tem poder final sobre nós, uma alegria aconrada nas palavras de Jesus: " Neste mundo tereis aflições; mais tende bom animo! Eu venci o mundo( Jo 16. 33".
 

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Cristo por Nós



Recentemente li “A Cruz do Grande Rei’ de Tim Keller e fiquei maravilhado com o poder da exposição bíblica de Keller. Suas aplicações e exemplos me encheram de alegria, pois diante de um mundo que não tem nenhum desejo por Deus , somente as Escrituras  explicadas e aplicadas ao nosso a dia-a-dia, com autoridade e poder do Espirito, é que trarão  o homem de volta ao seu Senhor e Cristo.

Desde que terminei a leitura de Tim Keller, li novamente Marcos em meu devocional e numa leitura mais densa, senti Deus me direcionando para uma serie de mensagens aos Domingos,  pois nas Sextas eu já estava terminando uma exposição da Carta de Tiago. Chamo essa serie de Mensagens de Cristo por Nós, frase que Traduzi do Latim usado na Reforma(Cristus pro nobis) para expressar Cristo em favor do homem contra o Cristo especulativo da Teologia Escolástica.

Quem o povo diz ser o Filho do Homem?

Quem é Jesus? O que Ele fez por nós? Qual o Seu ensino? Por que preciso segui-lo? Perguntas  que devem ser respondidas para uma época de conhecimento virtual e trivial como à nossa. Principalmente para o emergente Movimento Gospel de “estrelas errantes e nuvens sem agua, que transformam a Graça de Deus em Libertinagem”.

A reposta de Pedro registrada no evangelho de Marcos é para nós paradigmática, pois esse conhecimento salvador que precisamos não pode vir pelas” loucas emoções do homem” devem vir pela Revelação de Deus nas Escrituras. Esta é minha firme convicção ao expor o Evangelho de Marcos, é que Deus, em Cristo, iluminará os corações para o resplendor da gloria de Cristo.

















quarta-feira, 2 de janeiro de 2013



Durante uma noite fria da idade media, um monge agostiniano lia e relia a carta de Paulo aos romanos. Sua busca era por um Deus que ele pudesse amar, seu coração ardia em desejo de ver esse Deus e se relacionar com Ele.

Esse monge, Martinho Lutero tinha somente as Escrituras e nelas firmava sua confiança máxima. Muitos de hoje tem desprezado a leitura das santas palavras de Deus em busca de experiências emocionais e psicológicas que não trazem a verdadeira paz para nosso ser fragmentado pelo pecado. Deus tem uma palavra para nós, mais é preciso deseja-la mais que tudo.

Vivemos tempos semelhantes aos de Jeremias.

A quem falarei e testemunharei, para que ouça? Eis que os seus ouvidos estão incircuncisos, e não podem ouvir; eis que a palavra do SENHOR é para eles coisa vergonhosa, e não gostam dela.(Jr 6.10)

Quando prego a palavra de Deus na comunidade que pastoreio, sinto que alguns que estão ali não querem ouvir a mensagem, pois para eles é algo duro, inaceitável lhes pare algo absurdo. Para mim isso é algo triste, pois a pregação da Palavra, nada mais é que a explicação da mesma. Explicação que deve trazer alegria ao coração do homem e dar-lhe o sentido de sua vida. Contudo, não é isso que acontece hoje, a vergonha pela palavra doutrinaria e a exposição bíblica, refletem o estado do coração do homem que não entende e reconhece quem é seu Criador, por isso a palavra para eles é desprezível. Junto aos incrédulos, está hoje também o movimento gospel brasileiro que enaltece as emoções muito acima da palavra, e quando faz uso das escrituras o faz com um sentido que não é o sentido do autor, ou mesmo uma aplicação de relevância bíblica. É lamentável!

Uma oração pela Escritura Somente!

  Bendito és tu, ó SENHOR; ensina-me os teus estatutos. Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca. Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas. Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos. Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra.  Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra. Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei. Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

Que junto com salmista, possamos viver e amar Tua Palavra. Amém.